16 de novembro de 2009

Facebook, para o bem e para o mal.

Na vida nem sempre a gente pode escolher com quem convive. Você entra em um novo emprego, um novo curso, em uma nova academia e lá estão eles, os idiotas. Eles são a razão pra você pensar em desistir, mas não, desistir por causa de um babaca? Nunca. E assim vocês seguem compartilhando horas preciosas do seu dia.
Com o tempo vocês trocam um diálogo ali, outro aqui, e por fim você começa achar que ele não é tão má pessoa assim, se você se esforçar, dá até para rir de uma piada ou outra, e quando você menos percebe está se referindo a ele como amigo.
Eu tive um amigo assim. Vamos chamá-lo aqui de José Miguel. José Miguel era um grande chato, do tipo que faz piada com defeitos e erros dos outros, fala alto, é grosseiro, um pulha de marca maior.
Toda vez que ele entrava de férias, eu e meus amigos torcíamos para que ele não voltasse mais. Overdose era o acidente mais provável, mas sonhávamos também com colisões de carro, quedas de balão, esqui, acidente com fogos de artifício, qualquer coisa, mas, para nossa infelicidade, ele sempre voltava.
Depois de algum tempo, não me lembro por qual motivo, eu e José Miguel nos aproximamos, para espanto dos demais. Sério, Marcela? O José Miguel legal? Sim, eu garantia. Ele tem aquele jeitão, mas no fundo é um cara bacana.
Um dia, quando já não nos víamos diariamente, não pensei e coloquei o telefone dele em um recado do orkut. Ok, eu não devia ter colocado, mas não era motivo para a histeria que se prosseguiu. Pensei bem, afinal, por que mesmo eu o considerava como amigo?Não soube responder. Deletei do msn, orkut e esqueci que ele existia, literalmente.
Não é que agora, com a popularização do facebook, José Miguel me reapareci, como se nada tivesse acontecido? Já neguei seu pedido de amizade três vezes e negarei todos que chegarem, por que as redes sociais tem esse mal, de trazer de volta pessoas que deveriam ficar pra sempre esquecida, mas tem também uma benção, o botão negar.

6 comentários:

Sakana-san disse...

É não e ponto final. Tb não aceito quem não quero.

Marcelo Mayer disse...

orkut, face, twitter... é tudo uma praga!

Tatiana Lazzarotto disse...

Acho que só eu no mundo não tenho o facebook. Talvez porque os que "me convidaram" foram uns Zé Miguéis da vida.

Eduardo Araújo disse...

Lembro perfeitamente deste caso.

Híndira disse...

Sério que foi assim que terminou tudinho?!

Graça Pereira disse...

Não tenho facebooK... e já ouvi falar bem e mal do mesmo. Não posso opinar poque desconheço totalmente este campo.
I, brijo
GRAÇA