16 de fevereiro de 2009

Bom dia, Tédio




Eu fico feliz com coisas pequenas. Quando tudo está uma merda, basta achar uma música que eu gosto muito no SoulSeek, e pronto, já vou dormir feliz. Um abacate maduro, encontrar rúcula na sessão de frios, um filme bom na promoção das Lojas Americanas. Qualquer um desses exemplos e basta. Ou bastava.
Aconteceu que algumas semanas atrás nada mais me alegrava. Não havia abacate no mundo que fosse suficiente. Nem doces. Comi todos os doces que me apareceram e nada, só quilos a mais. Parecia que não liberavam mais a serotonina de costume. Ou o tédio tinha se enraizado até os ossos.
Desesperada, resolvi consumir. Dizem que faz bem. Mas comprar o que? Nem pra gastar dinheiro eu animava. Pensei em todos os meus sonhos de consumo e nenhum me deu ganas de sair torrando minhas economias. Andei pelo shopping inteiro e nada saltou aos meus olhos. Desisti, ou além de entediada, ficaria pobre.
Decidi ver um filme. Comédia ou drama? Resolvi assistir Marley. Um maldito blockbuster saberia mexer com minhas emoções. Engraçadinho até, ri um pouco, mas não chorei. Todos de rostos molhados e eu ali, pensando o quanto era piegas aquela alternância entre vídeos do cachorro jovem e saudável, e o cachorro velho, morrendo no veterinário. Brega. E pensar que eu chorei tanto assistindo “K-9, um policial bom pra cachorro”...
Quando achei que tudo estava perdido, que eu estava fadada a melancolia eterna, dei de cara com ele. Lindo, chamativo, destacando entre os demais: Magnum Chocolate Belga.
Eu precisava experimentar. Eu amo sorvete Magnum, mas é caro, por isso eu nunca compro. E amo chocolate belga. Chocolate belga está no meu top 5 delícias do mundo. Sim, MAgnum Chocolate Belga traria minha felicidade de volta.
Como nada é fácil na vida, não tinha a especiaria na padaria. Nem na outra, nem na outra. Só fui encontrar o meu antídoto após uns quinze dias. Quando achei fiquei namorando. Cheirei, cheirei, examinei, e por afim abri. Dei uma mordida. Duas mordidas. Não tinha a menor graça.

8 comentários:

.leticia santinon disse...

O magnum ainda consegue trazer minha felicidade de volta.

Mas e aí, continua entediada?

marcela disse...

não. passou.
pq tem outras coisas boas na vida q liberam serotonina.

Gláucio disse...

Então experiemnta o chocolate belga da haagen-dazs. Vende no supermercado. É muito caro, mas é muito gostoso, faz a vida valer a pena.

Anônimo disse...

eu passei por isso esse fds. comprei filmes, livros e bugingangas inúteis. fiquei bem feliz, viu. mas agora to triste pq não tenho mais dinheiro...rs

Eduardo Araújo disse...

Hoje, tédio profundo de tudo, passo aqui para me animar, o velho tema,insatisfação grande. Aí, de repente, me lembrei de uma frase que copiei há muitos anos de um filme (estava numa agenda, eu transcrevia em agendas textos pelos quais me apaixonava. sorry, nunca fui normal). Vasculho no Revide (pus muito das minhas agendas no Revide). Nada. Não encontro no Google. Nada. Mas como pode existir algo que não esteja no Google? O original, lembro, em inglês. Não lembro mais nada de inglês, wish, adventure, sei lá, não é isso. Então busco na memória. A memória falha. Capaz que a frase tenha saído capenga. Manca. Mesmo assim posto. Não coloco dono. Se não estava no Google, agora, inteiramente de minha. Posto, domínio público p. nenhuma, se citarem, exigirei meus royalties:


"Não existe aventura, nem romance. Tudo que existe é tensão e desejo, mas quando se deseja alguma coisa, provoca-se o sofrimento, e quando se sofre, não há mais desejo."

Eduardo Machado Santinon disse...

Eu vou achar um plasma ball pra você. Um dia eu acho e o tédio nesse dia cagará no mato! Mas enquanto eu não acho ele a gente fica esperando o fim de semana pra te encontrar e juntos com os membros do Mimimi pular o carnaval e esquecer das mazelas. Beijo

.lucas guedes disse...

quais são as outras coisas boas da vida que liberam serotonina?

Fabi disse...

ah. também não achei graça nenhuma nesse magnum...
prefiro o sorvete de pistache da sorveteria da esquina.. mais eficiente e mais barato =D